Please use this identifier to cite or link to this item: http://ric.cps.sp.gov.br/handle/123456789/167
Title: Tobacco stalk as promising feedstock for second generation ethanol production
Other Titles: O caule de tabaco como matéria-prima promissora para a produção de etanol de segunda geração
El tallo del tabaco como materia prima prometedora para la producción de etanol de segunda generación
Authors: BRAGATTO, Juliano
NASCIMENTO, Daniela Defavari do
BOARETTO, Luis Felipe
SEGATO, Fernando
LABATE, Carlos A.
metadata.dc.type: Artigo científico
Keywords: Etanol
Issue Date: 2016
Publisher: Faculdade de Tecnologia de Piracicaba
Citation: BRAGATTO, Juliano et al. Tobacco stalk as promising feedstock for second generation ethanol production. Bioenergia em revista: diálogos, ano6, n.2, p.47-61, jul./dez. 2016. Disponível em: http://fatecpiracicaba.edu.br/revista/index.php/bioenergiaemrevista/article/view/209/pdf. Acesso em: 28 ed abril de 2017
Series/Report no.: Bioenergia em revista: diálogos, ano6, n.2, p.47-61, jul./dez. 2016;
Abstract: A composição química e as propriedades morfológicas das fibras, de materiais lignocelulósicos, são fatores-chave que afetam a eficiência da produção de biocombustíveis durante os processos de conversão. Assim, a composição química de plantas de tabaco foi examinada para avaliar seu potencial para produção de bioetanol. Após hidrólise de tecidos (xilema, medula, folhas e raízes) com ácido trifluoroacético e ácido sulfúrico, os hidrolisados foram analisados através de sua composição de carboidratos utilizando cromatografia de troca iônica (HPAE-PAD). Na haste de tabaco (tecido do xilema), os teores de carboidratos e lignina foram 62,4% e 20,8% de matéria seca (MS), respectivamente. Esses valores são muito próximos dos encontrados em madeira (eucalipto) e em bagaço de cana. As propriedades morfológicas das fibras do tecido xilemático e cortes histológicos efetuados na base do caule foram também avaliados e os resultados mostraram que as suas características são semelhantes aos de biomassa utilizada para a produção de biocombustíveis. A fibra no xilema de plantas de tabaco apresentaram valores de comprimento, diâmetro, espessura da parede celular e lumem de 0,95 mM, 30,7 uM, 20,8 uM, e 4,9 uM, respectivamente. Portanto, através da produção de plantas de tabaco no Sul do Brasil, este trabalho identificou cerca de 2 milhões de toneladas secas / ano de biomassa como caules de tabaco com grande potencial para produção de bioetanol de segunda geração ou biopolímeros. Assim, de acordo com a composição química dos caules de tabaco, a produção de etanol pode chegar a 108 litros por tonelada de peso seco.
URI: http://ric.cps.sp.gov.br/handle/123456789/167
ISSN: 2236-9171
Appears in Collections:Artigos de Periódicos do CPS

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tobacco_stalk_promising_feedstock_second_generation_ethanol_production.pdf465.19 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.